Apesar de toda inovação tecnológica recente, a verdade é que a maioria dos varejistas brasileiros ainda faz revisões de sortimento usando o Excel.