Os números mostram uma nova ordem de consumo: o cliente está mais consciente e mais inteligente. E agora chegou a vez do Brasil.