A frequência com que o consumidor vai à farmácia só fica atrás do número de visitas que faz ao supermercado.