Segundo executivo José Galló, este ano deixará uma lição valiosa: não dá para jogar os problemas debaixo do tapete.